08 jan 2019

Você sabe quais dados o Google salva sobre você?

Dimítria Coutinho

por Dimítria Coutinho

7 min. de leitura
Você sabe quais dados o Google salva sobre você?

Quase tudo na internet está relacionado a dados. É a partir deles que as empresas ganham dinheiro, é com eles que os serviços são aperfeiçoados e é por causa deles que a publicidade vai tão bem. E, também, são com nossos dados que pagamos boa parte dos serviços que usamos online. É o famoso não existe almoço grátis.

Leia mais  Uma enxurrada de dados: como Big Data pode ser utilizado

Se o assunto é coleta de dados pelo Google, então, a coisa fica mais séria. Isso porque usamos ferramentas da gigante de tecnologia o tempo todo, o que faz a quantidade de informações coletadas sobre nós ser enorme. Mas você sabia que dá para controlar o que o Google salva ou deixa de salvar sobre você? Estamos falando dos controles de atividade.

Tudo o que fazemos online é uma informação importante, desde a localização até a última busca e os sites acessados. Na sua conta Google, todas essas ações, chamadas de atividades, ficam salvas pela companhia, a fim de personalizar e melhorar serviços, além de ajudar a empresa a desenvolver seus negócios. Cada usuário pode, porém, gerenciar aquilo que quer, ou não, manter armazenado.

Quais atividades o Google armazena?

Na página dos controles de atividade, é possível ver e alterar as atividades que o Google salva. Essas configurações valem para todos os dispositivos associados à conta Google em questão.

Se você preferir acessar os controles de atividade por um dispositivo móvel, dá para chegar lá através das configurações. No Android, vá em Configurações, depois em Google e, em seguida, em Conta do Google. Depois, clique em dados e personalização e vá em gerenciar seus controles de atividade. No iOS, é preciso acessar o link.

Na página de controles de atividade, é possível escolher o que será salvo. Imagem: Captura de tela.

Atividades na Web e de apps

A primeira atividade da página são as atividades na Web e de apps. Nela, ficam salvos as pesquisas em sites e ações em aplicativos do Google. Quando a opção está ativada, ela também permite o armazenamento de informações relacionadas, como a localização no momento de uma busca, por exemplo. Nessa atividade, também dá para escolher salvar, ou não, o histórico de navegação do Chrome.

Quando ativado o armazenamento, esses dados podem aprimorar a navegação do usuário, personalizando serviços e agilizando buscas, por exemplo. Mas desativar esse armazenamento não impossibilita o uso dos serviços, e é uma escolha de cada usuário.

Histórico de localização

Leia mais  Rastreamento de localização do Google: tudo o que você precisa saber a respeito

A segunda atividade encontrada na página é o histórico de localização. Quando ativado, ele salva os lugares que o usuário visitou com seus dispositivos, montando uma espécie de mapa particular. Lá, ficam guardados todos os pontos no mapa que você esteve, mesmo que não estivesse usando um serviço do Google no momento. Esses mapas podem ser visitados por cada usuário, e o Google usa esses dados para fornecer recomendações parecidas com os lugares que você costuma ir. 

Através do histórico de localização, é possível ver todos os lugares em que você já esteve usando sua conta Google. Imagem: Captura de tela.

Recentemente, essa opção deu o que falar, porque a verdade é que, mesmo com ela desativada, o Google continua salvando algumas localizações. Isso porque, como já dito anteriormente, os apps associados à Google (como o Maps) e as opções de busca também podem armazenar a localização. Se você não quiser que a empresa saiba onde você está, é preciso desabilitar não somente o histórico de localização, mas também as atividades da Web e de apps.

Informações do dispositivo

Nos controles de atividade, o usuário também poderá ativar ou desativar as informações do dispositivo. Esse item é o responsável por salvar dados particulares de cada aparelho, como contatos, agenda e aplicativos.

Atividades de voz e áudio

Outras ações salvas são as atividades de voz e áudio, responsáveis por guardar suas entradas de áudio, como quando você conversa com a assistente ou quando faz uma busca no Google por voz. O objetivo é aprimorar o recurso e permitir que o dispositivo melhore a capacidade de reconhecer a voz de cada usuário.

YouTube

Leia mais  Como configurar Youtube e Netflix para crianças

As duas últimas atividades encontradas na página de gerenciamento dizem respeito ao YouTube. A primeira delas, histórico de pesquisa do YouTube, salva tudo o que o usuário busca na plataforma, a fim de agilizar pesquisas futuras. A segunda, histórico de exibição do YouTube, salva os vídeos assistidos, para facilitar sua localização e aprimorar as sugestões.

Como ver e excluir dados específicos

Além de gerenciar os tipos de atividades armazenadas, dá também para ver quais atividades específicas foram salvas, assim como excluí-las se quiser. Isso significa que, mesmo optando por salvar um tipo de informação, você pode deletar partes desse histórico de dados.

Para isso, é preciso acessar a página minha atividade, no computador ou em dispositivos iOS. No Android, é só acessar configurações, ir em Google e, depois, em conta do Google. Na seção Dados e personalização, clique em Minha atividade.

Nessa página, você encontrará todo o histórico de atividades que foram salvas, desde sites visitados e pesquisas no Google, até quantas vezes a página inicial do seu celular foi acessada.

Em minhas atividades, é possível excluir ações específicas. Imagem: Captura de tela.

Clicando nos três pontinhos ao lado direito da atividade, é possível excluí-la. O Google explica que, quando você deleta uma atividade, ela realmente sai do banco de dados da empresa. O que permanece é o momento e a forma com que a atividade foi executada. Se você exclui uma pesquisa feita no buscador, por exemplo, a empresa vai continuar sabendo que você realizou uma busca em determinado horário, só não vai saber o que foi procurado.

Na mesma página, também dá para excluir todas as atividades de um dia, clicando nos três pontinhos ao lado da data. Em excluir atividade por, no canto esquerdo da página, dá para filtrar os dados por data ou por serviço, e excluir atividades em massa.

Informações de uso e diagnósticos

Outra informação compartilhada com o Google e que pode ser controlada pelo usuário são os dados de uso e diagnósticos. Diferente dos anteriores, eles não são encontrados nas páginas de controle, porque só funcionam para Android.

Leia mais  Google Smart Lock: o faz-tudo que pode te ajudar com senhas e desbloqueios

Essas informações dizem respeito ao que está ou não está funcionando no dispositivo. Quando esses dados são armazenados pelo Google, eles são usados para melhorar seus produtos e serviços, como aplicativos da companhia. Quando a opção está ativada, o Google pode obter informações sobre o nível de bateria, a frequência de uso dos aplicativos e a qualidade e duração das conexões de rede, como Wi-Fi, Bluetooth e dados móveis.

Para ativar ou desativar o compartilhamento de informações de uso e diagnósticos com o Google, é preciso acessar as configurações e clicar em Google. Depois, clique nos três pontinhos, no canto direito superior, e vá até Uso e diagnóstico.

O que o Google faz com todos esses dados?

Quando permitimos que o Google salve qualquer um desses dados, eles passam a fazer parte do banco da empresa. E a companhia os utiliza de três principais formas. Uma delas é personalizar os serviços de acordo com os gostos de cada usuário. Quanto mais o Google sabe sobre você, mais ele vai acertar na hora de te dar sugestões, por exemplo.

Outra forma que esses dados são utilizados é para aperfeiçoar os serviços em geral, para todas as pessoas. Cruzando as informações de vários usuários, o Google consegue obter informações preciosas para desenvolver melhor suas ferramentas. Por fim, esses dados são também utilizados, segundo a própria companhia, para obter insights sobre novos produtos. Ou seja, usamos quase tudo do Google de graça, mas nossos dados valem mais do que dinheiro para a empresa porque eles criam novos produtos à partir deles.

Por isso, essas ferramentas de controle são tão essenciais. Com elas, podemos decidir o que o Google fica, ou não, sabendo sobre nós. É verdade que não conseguimos controlar tudo, mas prestar atenção nessas opções já é bastante importante. São nossos dados e nossa privacidade que estão em jogo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *