01 out 2018

O que significa HTTPS e porque é mais seguro navegar com ele

Dimítria Coutinho

por Dimítria Coutinho

3 min. de leitura
O que significa HTTPS e porque é mais seguro navegar com ele

Você já deve ter reparado que no início de cada site aparece a sigla HTTP ou HTTPS. A segunda geralmente vem acompanhada do desenho de um cadeado, indicando a segurança da página visitada. Mas você sabe porque um site HTTPS é mais seguro que um HTTP?

O que é HTTP?

Para explicar a diferença entre os dois protocolos é preciso primeiro saber o que significa HTTP, sigla em inglês para Protocolo de Transferência de Hipertexto. É ele quem permite que os usuários se comuniquem com servidores de sites. Toda vez que navegamos em uma página da Internet, trocamos informações com o servidor no qual essa página está hospedada. E essa troca de informações só é possível através desse protocolo chamado HTTP.

Leia mais  Entenda a nova lei brasileira de proteção de dados

Apesar de ter essa função importante, o HTTP não é muito seguro. É bastante comum que terceiros entrem no caminho. Essa interceptação pode acabar em roubo de dados bastante importantes e que estão em trânsito, como senhas e números de cartões de crédito.

Como o HTTPS adiciona segurança?

E é justamente por causa disso que surge o HTTPS. Esse protocolo funciona da mesma forma que o HTTP, mas com uma camada a mais de segurança. Toda a comunicação feita entre usuário e servidor é criptografada. É como se usuário e servidor falassem em uma língua que só ambos entendem; se alguém tentar interceptar no meio do caminho, não vai conseguir decifrar as informações — ou, pelo menos, será muito difícil fazê-lo, pois elas estarão codificadas.

Leia mais  Conheça o SSD, peça que vem para substituir o HDD em computadores
Leia mais  Como o sinal do Wi-Fi chega até nós?

Quando o protocolo HTTPS começou a ser difundido, ele era utilizado, sobretudo, em sites que trocam informações confidenciais, como sites de bancos ou de compras. As demais páginas continuavam a utilizar o protocolo HTTP.

Com o passar dos anos, porém, houve um movimento em que a maioria dos sites passaram a migrar para o protocolo mais seguro. Isso porque quem intercepta essa comunicação consegue coletar qualquer tipo de dado, e não são só os mais confidenciais. Pelo HTTP, é possível coletar dados de navegação para direcionar propagandas, por exemplo, ou modificar informações existentes em sites.

Como o HTTPS está difundido e como os navegadores estão se comportando?

Hoje, boa parte dos sites já migrou para o protocolo HTTPS. Mas isso não quer dizer que não é necessário prestar atenção. Além de mostrar o protocolo utilizado pelas páginas, os navegadores — Chrome, Firefox, Internet Explorer e outros — vêm incentivando os sites a migrarem para o protocolo mais seguro.

O Google Chrome, por exemplo, que antes tratava as páginas HTTP de maneira neutra, passou a marcá-las como “não seguras”, a fim de alertar os internautas a não navegarem por ali. Outra medida da empresa é priorizar sites HTTPS nos resultados da busca. A maioria dos navegadores mostra um cadeado ao lado de sites HTTPS, indicando que é seguro navegar por aquela página. Ali, é possível encontrar mais informações a respeito da segurança do site.

Clicando no cadeado, é possível obter as informações de segurança da página. Imagem: Captura de tela

Não é possível dizermos que estamos 100% seguros quando navegamos em uma página HTTPS, mas é possível dizer que estamos inseguros quando navegamos em uma HTTP. Por isso, evite utilizar sites que usam esse protocolo, e nunca passe informações sensíveis por essas páginas.