#comofaz: cinco passos para perder o medo de tecnologia

7546649376_b901183cea_o

 

Fotomontagem: Mike Licht/Flickr

Um dos motivos da existência do Ada é a quantidade de mulheres que nós, Diana e Natasha, conhecemos que apesar de usarem computadores o dia inteiro (algumas com softwares bastante complexos, como o Autocad), terem smartphones, tablets e serem loucas por uma rede social,  relutavam em se considerarem aficionadas em tecnologia. “Ai, imagina, não entendo quase nada,” elas nos diziam, para em seguida discorrerem apaixonadamente sobre aplicativos preferidos e porque preferem esse sistema operacional a aquele, truques que aprenderam e debater novos gadgets.

Está na hora de todas nós sairmos desse auto-imposto armário e nos entendermos melhor com essas ferramentas que fazem tanta diferença na nossa vida.

Por isso, resolvemos comemorar esse dia 8 de março, tão perto do primeiro aniversário do Ada, com alguns passos para você assumir a tecnologia de vez na sua vida. YES YOU CAN!

Adaptamos as dicas da jornalista americana Arikia Millikan, que escreve sobre tecnologia no Refinery29. Para ler o texto original dela, clique aqui. Com a palavra, Arika:

“Várias pessoas se consideram “boas com tecnologia”, como se isso fosse um dom com o qual se nasce ou não (e com o qual as mulheres não costumam ser agraciadas), mas eu estou aqui para provar o contrário. Ter uma inclinação tecnológica é uma habilidade aprendida, assim como saber espanhol ou fazer baliza. Ainda assim, não foi uma habilidade que eu adquiri de forma direta.

Sou filha única de mãe solteira, então eu só tive duas opções para alcançar as minhas metas: ou eu aprendia sozinha ou eu teria que abrir mão de todos os benefícios gloriosos do uso da tecnologia – como as horas que gastei jogando Super Nintendo ou navegando pela edição da Enciclopédia Britânica que instalei no meu primeiro computador. Lá em casa isso se aplicava a tudo que exigisse uma certa mão-na-massa: montar móveis, arrumar eletrônicos e até mudar as velas de ignição do meu carro. A vida pode não vir com um manual de instruções, mas quase tudo que usamos nela tem; então não há razão para os homens serem os únicos a usá-lo.”

Segundo Arika, não se sinta desencorajada se você nunca se considerou “tecnológica” – dá para começar a qualquer idade. Mas se você é alguém que tende a desistir facilmente quando o computador trava ou o celular dá pau, aqui estão alguns passos para mudar essa mentalidade:

1 – Não peça para alguém consertar o problema para você. Pelo menos não antes de tentar por uma boa meia hora. O primeiro passo para resolver um problema de gadget ou um pau de computador  é entender exatamente o que está errado, então se você conseguir além do “socorro, deu pau” e analisar o que aconteceu e quais as mensagens de erro, fica mais fácil saber qual a solução que você precisa. Um mantra: quando em dúvida, reinicie a máquina;

2 – O problema não é você. Se você empacar, não se martirize achando que é burra ou “não entende disso.” A verdade é que a maior parte dos gadgets e plataformas foram desenvolvidas por pessoas bem diferentes de você, e que existe um abismo bem grande entre estes desenvolvedores e o público-alvo dos seus produtos, em termos de língua, cultura e educação. Sim, eles deveriam ter feito seus produtos o mais intuitivos e simples possíveis, mas nem sempre é o que acontece;

 3 – Use a força da Internet. Uma vez que você entendeu qual exatamente foi o problema, tipo “o aplicativo trava quando eu abro a foto xis” ou “o Firefox não abre uma página com vídeo”, você pode fazer uma busca no Google por soluções usando o termo “Como ____” e descobrir centenas de páginas e fóruns online que podem te ajudar. Qualquer que seja o seu problema, certeza que você não é a primeira a passar por isso. Busque por descrições que descrevam a sua situação e pesquise as soluções que outros encontraram. E se seu problema for realmente inédito, não se acanhe de se inscrever em um fórum adequado e descrever o que aconteceu. O que nos leva a…

 4 – Peça ajuda, mas não favor. Se você realmente precisa convocar alguém que entenda mais que você, faça o seguinte: em vez do especialista resolver para você, peça para te explicarem o passo a passo de como consertar sozinha. Assim, se acontecer de novo, você já sabe o que fazer sem pedir a ninguém;

5 – Não tenha medo de falhar, e bastante. Você provavelmente não acertou a primeira vez que tentou fazer baliza. Mas isso não quer dizer que seu destino era ser má motorista e sim que você ainda estava aprendendo a dirigir. Mesma coisa com tecnologia: vá tentando várias vezes até acertar e saiba que ninguém nasce sabe sabendo construir e usar toda as modernidades atuais. Elas podem parecer simples, mas nem sempre são.

Tecnologia intimida à primeira vista, mas aprender a usá-la vai te ajudar a economizar tempo, dinheiro e diminuir sua dependência dos outros. Feliz 8 de março para todas nós.

Gif via Giphy.

11 truques bacanas para iPhone

Cá entre nós, um iPhone (ou smartphone) funciona como um cérebro de várias maneiras. É uma extensão da nossa memória (quantos números de telefone recentes você lembra de cor e quantos amigos você jamais teria como contatar se sua lista de contatos fosse apagada?), raciocina e faz cálculos para você (levante a mão quem não vive sem a calculadora do celular!) e mais importante, exatamente como o cérebro, a gente nunca usa todo o potencial dessa maquininha.

O site americano Buzzfeed compilou uma lista de truques e manhas para iPhone e nós separamos as mais legais:

(E sim, a versão Android desse post tá no forno, não vamos deixar ninguém na mão!)

1 -Para carregar bateria mais rapidamente

Crédito: Natasha Madov
Crédito: Natasha Madov

Coloque o telefone em modo avião e ele carregará em metade do tempo. Tcharan!

2 – Troque seu código de bloqueio de tela de números para palavras:

Crédito: Natasha Madov
Crédito: Natasha Madov

– Vá em Ajustes > Código (fica no grupo de ajustes que começa com Geral)

– Desligue o ajuste que diz “Código Simples”

– Uma tela nova vai aparecer pedindo para que você mude seu código, junto com um teclado completo e você pode escolher uma palavra que faça mais sentido para você do que um grupo de números. Da próxima vez que você desbloquear sua tela, o teclado completo vai aparecer.

3 – Veja os horários que suas mensagens de texto foram enviadas

Serve tanto para iMessage quanto mensagens de texto normais. Simplesmente toque no balãozinho e puxe para a esquerda.

4 – Chacoalhe o aparelho para apagar o que você digitou e não quer enviar

foto 3foto 4

Se você digitou algo que se arrependeu antes de enviar, não precisa apagar letra por letra. Chacoalhe o telefone, e uma janela “Desfazer digitação” vai aparecer. Se você quiser recuperar o texto depois de desfeita a digitação, chacoalhe o aparelho de novo que aparece uma janela “Refazer digitação”.

5 – Veja sua agenda com mais detalhes

A visualização padrão do calendário do iPhone é a do dia, mas para ver rapidamente parte da sua semana, coloque o telefone na horizontal. (Mas só funciona se a orientação vertical do aparelho não estiver bloqueada).

6 – Ativar o Caps Lock

A gente vai contar, mas você vai prometer que não vai abusar das maiúsculas e ESCREVER TUDO ASSIM DE AGORA EM DIANTE, tá? É só tocar duas vezes no botão shift do teclado, aquela com uma setinha e pra voltar pro normal, um toque simples no Shift de novo. Se não funcionar, vá em Ajustes > Geral > Teclado e selecione Ativar Fixar Maiúsculas. Mas ó, lembra do combinado, tá?

7 – Cheque nivelamento do quadros e móveis

foto 2
Crédito: Natasha Madov

Precisa saber se aquele móvel, quadro, ou qualquer coisa está nivelado? Olha que utilidade boa para a Bússola. Depois de calibrá-la, deslize para a esquerda e descubra tudo que está torto na sua casa.  A tela fica verde apenas quando o celular estiver a 90 graus na vertical ou 180 graus na horizontal.

8 – Proteja compras de aplicativos com senha

Crédito: Natasha Madov
Crédito: Natasha Madov

Particularmente útil para quem tem filho pequeno que adora aplicativo infantil espertinho. Vá para Ajustes > Geral > Restrições, acione Ativar Restrições, crie um código (de preferência diferente do código de bloqueio do seu telefone) e desabilite “Compras dentro do App”. Também serve para quem não tem auto-controle com joguinhos e quebra a banca comprando mais vidas e dicas.

9 – Três truques da Câmera

Mantenha o obturador da câmera do iPhone (aquele botão redondinho) pressionado para tirar fotos em sequência e salvá-las todas no celular. Especialmente útil ao fotografar coisas em movimento (como bebês e pets)

Já para evitar fotos tremidas, é legal segurar o telefone com mais firmeza e tirar as fotos usando o botão de volume de cima (o mais perto do botão de mudo), que também funciona como obturador. Assim, você consegue segurá-lo quase como uma câmera normal.

Agora vamos ensinar o grande truque do selfie: o fone de ouvido. Plugue o fone de ouvido (o da Apple, que vem com o iPhone) no telefone, e pressione o mais no botão de volume para clicar fotos. Desse modo você não precisa ficar esticando o braço e fazendo malabarismo para tirar fotos de si mesma. 😉

Tem outras dicas e macetes? Conte nos comentários!

#comofaz: Você sabe proteger a sua privacidade no Facebook?

Screen Shot 2014-04-07 at 14.17.25
Que tal dar uma “polida” na imagem que você passa para os outros no Facebook?

crédito da imagem: Stephanie Lenz

 

Às vezes não dá para dizer se é bom ou ruim, mas parece que hoje em dia todo mundo está no Facebook. Quem está lá há muito tempo, tem pena de abrir mão da sua praticidade, e sente que ficar de fora seria perder acesso a uma camada bem grande da vida social. Quase como perder a melhor festa do ano todos os dias. Quem chegou há pouco, ainda está conhecendo esta pequena selva, mas já entendeu que mais do que uma rede social, o Facebook é um contexto social. 

Nós no Ada não defendemos nem apedrejamos qualquer tipo de uso que a rede possa te proporcionar. Seja por trabalho, seja pela facilidade de descobrir eventos, seja para observar o seu ex e a sua atual família; a internet é um livro aberto e um caderno em branco ao mesmo tempo. Sirvam-se à vontade e salve-se quem puder. O que nós defendemos, e aí sim, com unhas e dentes, é que a gente saiba o quê e com quem estamos compartilhando as informações que colocamos (ou que colocam) na nossa linha da vida (quer metáfora mais forte do que essa?!). Por isso este tutorial: você sabe o quê e como você compartilha a sua vida no Facebook? Bora aprender.

 

Quem pode ver o que você posta?

Dica número zero: cada vez que você faz um post, há um ícone bem humilde em formato de globo terreste com a palavra “público” lá embaixo.

Screen Shot 2014-04-06 at 22.00.54

Este é o jeito mais fácil de decidir, post a post, quem você quer que leia, ouça ou veja o que você está compartilhando. Escolha uma das opções pré-definidas (público, amigos, amigos exceto conhecidos, só você) ou faça a sua lista negra personalizada. Sim, isso mesmo, escolha “personalizar” e marque a pessoa (ou o grupo delas) que você quer manter de fora. Nesta hora você pode escolher até se quer que os amigos das pessoas marcadas naquele post saibam do que você está falando. OBS: o Facebook vai lembrar da sua escolha na próxima publicação, por isso é legal manter esse exercício como uma prática mesmo. Ajuda horrores e no fim das contas você se acostuma 🙂

 

Como ver tudo o que você já fez no Facebook?

Clique nesta tímida setinha no canto superior direito do seu Facebook e você vai achar uma área com o nome “registro de atividades”.

Screen Shot 2014-04-06 at 22.12.44

É aqui que você consegue ter a visão geral da situação.  Nesta área você pode descobrir coisas importantes, como em quais fotos, posts ou vídeos você foi tagueada, por exemplo. Use os filtros no topo para ver o conteúdo que você escondeu da sua timeline e descobrir quem pode ver esses posts tagueados no Feed de notícias, na busca e em outros lugares no site. (respira fundo e vai com fé!). Se tem alguma coisa que você quer destaguear e for sua, clique no ícone de lápis e selecione “excluir”. Se a publicação pertence à outra pessoa, escolha “denunciar/remover marcação”. Nessa área também dá para ver todas as curtidas e comentários que você fez em um só lugar. Tá na dúvida se fez merda naquele madrugada de bebedeira? Aqui você descobre.

 

Quem pode entrar em contato com você?

Volte naquela mesma setinha tímida, só que agora escolha “configurações”. Uma vez na página, escolha “privacidade”.

Screen Shot 2014-04-07 at 11.00.48

 

Se você reparar na lista, é na segunda pergunta que você deve restringir quem pode te enviar solicitações de amizade. O default é “público”, mas você pode mudar para amigos de amigos para evitar as pessoas malucas da internet (não que os nossos amigos não sejam). Lá também dá pra criar filtros de quem pode te mandar mensagens diretas. Simplão.

 

Quem pode te achar?

Acho essa opção providencial! Siga na mesma página onde você estava, só que agora clique na terceira pergunta: “Quem pode me procurar?” Aqui você decide por quem você quer ser encontrada com o seu endereço de email ou telefone. Isso evita bastante aquele povo de palestras e eventos que a primeira coisa que faz com o seu cartão é te adicionar no Facebook.

Agora o mais importante: NÃO PERMITA QUE O FACEBOOK OFEREÇA A SUA LINHA DO TEMPO PARA MECANISMOS DE BUSCA! Isso implica que qualquer pessoa que te procurar no google possa ver a sua linha do tempo, as suas fotos de bebê etcétera e tal.  Tem uma caixinha lá da qual você precisa tirar o “x”.

 

Uma linha do tempo para chamar de sua

Ainda estamos na página de privacidade, só que agora escolhemos o ítem “linha do tempo e marcações”.

Screen Shot 2014-04-07 at 11.14.41

 

Aqui vale a pena dar uma passeada e ler item por item. É neste ponto que você decide o tipo de privacidade e controle que você quer ter na sua linha do tempo. Aproveite para bloquear os posts reaças do seu amigo do colégio que faz questão de compartilhar com você. Também altere as configurações para que o Face te peça autorização antes de qualquer post te marcando seja incluído na sua timeline. Muito necessário!

 

O poder do não

É importante a gente bloqueie o acesso de certas pessoas a certas áreas da sua vida. A vida offline também é assim, então esse é um exercício que temos que fazer sem medo e sem dó. Dê uma olhadinha na coluna da esquerda, e agora escolha “bloqueio”.

Screen Shot 2014-04-08 at 16.37.28

Tem pessoas no seu Facebook que você não pode excluir? Não se preocupe: crie uma lista de “restritos” a quem só será visível o que você publicar publicamente. Importante lembrar que ninguém é notificado quando é adicionado a uma lista negra. Nem a sua mãe 😉 Mas se o caso é grave mesmo, bloquear alguém dá um poder libertador. Quando bloqueada, a pessoa não pode começar uma conversa com você, não pode ver a sua timeline ou tentar de adicionar como amiga. É tenso, mas tem horas que só isso resolve. Outra mágica, aqui você também bloqueia convites de aplicativos (tchau Candy Crush!) e convites para eventos de uma determinada pessoa.

 

Testanto, testando… um, dois. um dois

Já teve vontade de ver como uma pessoa específica vê o seu perfil?  Vem ver aqui embaixo!

Screen Shot 2014-04-07 at 11.42.43

 

Ta-daaa!

#comofaz: Como baixar filmes e séries usando torrents

giphy
Mas é claaaaro que a gente ia usar Game of Thrones para ilustrar este tutorial!

Antes de qualquer coisa, vou tirar uma questão da frente antes de falar de torrent: pirataria é crime ou não é? Quem baixa filmes pode ser preso por isso? Segundo o que pesquisamos, pela lei brasileira, baixar arquivos para uso privado não é crime, o que não pode é ganhar dinheiro com isso, como vender os arquivos em um dvd caseiro, por exemplo.

Ainda assim, é preciso ficar claro que cada vez que fazemos um download clandestino de um produto intelectual, como um filme, um episódio de uma série, um disco ou um livro, os responsáveis por ele não recebem nada pelo trabalho que tiveram ali. Como é uma discussão bem longa, vamos deixar por enquanto isso na consciência de cada um, ok?

Ao tutorial, então. Torrents têm alguns passos, precisam de programas específicos, mas não são nenhum bicho de sete cabeças — mesmo.

O que você vai precisar:

– Um software chamado cliente de torrent; (algumas opções: µTorrent, Vuze, Bitcomet

– Um site para você baixar os arquivos de torrent; (para séries, tente o Eztv, para todo o resto, The Pirate Bay. Outras opções de sites: Torrentz e Isohunt, entre outros)

– Um site para baixar as legendas, se você precisar; (opções: Open SubtitlesLegendas.tv)

– Um software para assistir aos filmes depois, o player. (não tem como dar errado com o VLC)

Só isso.

Vamos lá: primeiro você instala o cliente de torrent, aquele que você escolher, de acordo com o que estiver disponível para o sistema operacional do seu computador, normalmente Windows ou Macintosh. Preste atenção no que você estiver concordando ao instalar, porque alguns programas, como o Vuze, instalam extensões chatinhas que alteram o Chrome ou o Firefox. Não vá clicando sim em todas as janelas que aparecem na sua frente sem ler do que se trata antes, tá?

Agora você precisa de um torrent em si. O torrent é um arquivo minúsculo, que vai executar o download do arquivo que você quer no cliente, puxando e organizando pedacinhos do arquivo de todos os computadores que estiverem baixando ao mesmo tempo e estiverem conectados à Internet. Por isso que, ao contrários dos downloads normais, quanto mais pessoas estiverem baixando o arquivo, melhor. O nome do arquivo é sempre algumacoisa.torrent.

É só ir até o site de sua escolha e buscar o que você quer. Muitas vezes, você vai ter que buscar pelo nome original do filme/série/o que seja. Aqui, um exemplo usando a série Game of Thrones no EZTV.

game of thrones torrent
Todas as opções disponiveis de Games of Thrones no EZTV nesta sexta, 4/04

Agora, como escolher o arquivo? No exemplo de cima, a sigla S(número)E(número) significa número da temporada (S de Season) e do episódio (E de Episode). Então S3E10 é o 10º episódio da terceira temporada. No caso entre o 720p e o HDTV normal, eu normalmente escolho o HDTV normal por ter uma qualidade de imagem ok e ser um arquivo menor, mais rápido de baixar.

Agora, um exemplo de filme, no Isohunt, com os filmes do Percy Jackson. Olhe como fica a busca:

percy jackson torrent1
Isohunt anda espertinho: perceba que os primeiros resultados são posts patrocinados. Procure os resultados normais de busca

Nesse caso, como escolher qual torrent? No fim do post, vou explicar melhor o que acontece com o nome dos arquivos, mas por enquanto, você precisa prestar atenção nos dados do arquivo, como size (tamanho), e principalmente seeds (o S). Quanto maior o arquivo (e alguns arquivos tirados de Blu-rays são bem grandinhos, tipo alguns gigabytes), mais demorado vai ser o download e claro, vai ocupar mais espaço no seu HD – em compensação, a imagem e som são ótimos. Você também quer um torrent com muitos seeds (sementes), porque eles são pessoas como você que estão baixando e distribuindo o arquivo ao mesmo tempo. Quanto mais seeds o arquivo tiver, mais rápido ele baixará. Também vale a pena prestar atenção nos comentários que o arquivo tiver. As pessoas avisam se for falso, se a qualidade estiver ruim, for vírus, etc.

Depois que você escolher, baixe o arquivo no seu computador. Cuidado com essa tela, porque muitas vezes eles entopem de botões para outros sites, dando uma enganada mesmo na gente. Procure sempre o “baixe o torrent”, como na foto abaixo:

Percy Jackson no Isohunt
Exemplo do Isohunt. Às vezes o botão para baixar o torrent fica escondido no meio dos “sites parceiros”

Agora vamos colocar o torrent no cliente. Escolha “add” ou adicionar torrent, e clique ok na janela que abrir. O cliente vai começar a baixar o torrent. A velocidade vai depender da velocidade da sua conexão e da quantidade de seeds, mas para ter uma ideia, os 900 megas do Percy Jackson do exemplo demoraram uns 20 minutos em uma conexão corporativa no µTorrent. O torrent costuma exigir bastante da conexão de internet da sua casa, então é bom fazer o mínimo possível com o computador enquanto o arquivo estiver baixando (assistir Netflix pode ser sofrido).

uTorrent abrindo o arquivo
Em alguns programas, o nome muda, mas é sempre algo tipo “abra ou adicione torrent”

Se você gosta de ver séries e filmes sem legenda, o próximo passo é estourar pipoca, se acomodar no sofá e abrir o arquivo no player (que a essa altura, você já instalou enquanto esperava o filme baixar). A gente super recomenda o VLC porque com ele você não tem que se preocupar com o formato do arquivo que baixou, ele lê praticamente tudo, enquanto outros como o iTunes só leem arquivos .mp4. Não é difícil converter, mas não é a proposta deste tutorial. Vá com o VLC que vai dar tudo certo e se não der avisa a gente.

Se você não leva fé no seu inglês/francês/italiano/espanhol/iraniano/whatever, tem um passinho a mais antes do sofá e da pipoca: a legenda. Em alguns casos, como o Percy Jackson do exemplo, o torrent vai vir com arquivos de legenda na língua que você quiser. O download do torrent sempre vai ser uma pasta com o arquivo de vídeo (provavelmente um .avi ou .mp4) e alguns outros arquivos de texto, que não são necessários. Procure na pasta arquivos com a extensão .srt (assim: nomedoarquivo.srt). Essa é a legenda.

O truque para fazer a legenda funcionar com o vídeo é o seguinte: deixar o vídeo e a legenda na mesma pasta do computador, com o mesmo nome. Olhe na imagem:

Tela do VLC
Não precisa clicar nos dois arquivos; no de video basta. Mas a legenda precisa estar na mesma pasta e ter o mesmo nome

Aí, é só abrir o arquivo de vídeo no VLC e pronto, tudo sincronizadinho. De volta à pipoca e ao sofá.

Mas se o arquivo não vier com a legenda? Aí você pode buscar legendas em sites específicos, como os que indicamos no início, o Open Subtitles ou o Legendas.tv. Busque pelo nome do filme e tente checar se existe alguma com o nome exato do arquivo que você baixou, inclusive com aqueles termos meio estranhos tipo Dualmedia, Xvid, etc. Se não, escolha a que for mais próxima, deixe na mesma pasta do filme e renomeie para que os arquivos tenham exatamente o mesmo nome.

Duas coisas:

1) O que significam palavras como DVDRip, DVDSCR, CAM, TS, TC, and R5 nos nomes dos arquivos de torrent de filmes?

Elas mostram como o vídeo foi captado. CAM, TS e TC significam que o vídeo foi captado dentro de um cinema, ou por um espectador na plateia com uma câmera (CAM) ou na sala de projeção (TS e TC). A qualidade de imagem e som costumam ser bem ruins, e portanto, não valem a pena.

DVDRip, DVDSCR e R5 são arquivos que foram obtidos a partir de cópias do filme em DVD. Dê preferência a esses. Os DVDSCR, podem vir com marcas d’água ou contadores de segundos porque são DVDs promocionais. Muitas vezes você vai encontrar rips de Blu-ray também. Se for apenas para assistir na telinha do computador, eu pessoalmente não acho que o tamanho do arquivo compense. (Para ver na TV da sala é outra coisa, mas assistir filmes baixados e Netflix na sua TV vai ser tema de outro tutorial).

No caso de torrents de séries de TV, além do HDTV podem vir números como 720p ou 1080p. Isso se refere à qualidade da imagem em transmissão digital. Normalmente são mais pesados, com mais de um gigabyte de tamanho.

Eu aconselho sempre checar as avaliações dos torrents e os comentários postados nos sites para ter certeza que se trata de uma cópia boa. E desconfie se o torrent parecer bom demais para ser verdade; com certeza não é e você pode acabar baixando um vírus no seu computador sem querer.

2) Espalhe o amor: é sempre #bomkarma deixar o cliente de torrent aberto depois que você tiver baixado, assim o arquivo é “semeado”(seed, lembra?) entre outros usuários que também estão baixando o arquivo, para devolver o favor e ajudar todo mundo. Tipo à noite, enquanto você estiver dormindo. Ou mandando mensagem pros amigos passando mal com o último capítulo de Game of Thrones.

got torrent
Renly Baratheon garante: vai na fé que você consegue

Dúvidas ou sugestões? Deixe um comentário!