10 out 2017

Como fazer o seu 3G durar o mês todo

por Giulia Laseri

5 min. de leitura
Como fazer o seu 3G durar o mês todo

Durante 7 anos sobrevivi no mundo digital com um pacote de 300 MB por mês no meu smartphone. Mantive o mesmo plano até pouco tempo atrás. Em 2009 era possível sobreviver com essa quantidade de dados, mas com o passar dos anos, as atualizações e desenvolvimentos de novos aplicativos tornaram essa sobrevivência praticamente impossível. No primeiro mês que mudei de plano logo percebi a mudança. Tinha 6 GB para utilizar e não sabia por onde começar a gastá-los. Por já estar acostumada a economizar o 3G, finalizei o mês consumindo apenas 3 GB. Me questionei: o que aconteceria com o restante do saldo que não havia utilizado?

Neste ano foi aprovado um projeto de lei pela Comissão do Senado que permite o acumulo de saldo de internet móvel. A proposta propõe que os usuários poderão utilizar em até dois meses o excedente do saldo. Ou seja, caso você tenha um plano de 1 GB e só utilize 500 MB neste mês, no próximo você teria disponível 1,5 GB. Entretanto, não são todas as pessoas que conseguem acumular dados.
Pois então: como fazer para economizar o 3G para que ele dure até o final do mês? Separamos abaixo:

5 dicas para economizar o seu 3G

1. Crie o hábito de perguntar o Wi-Fi

Parece bobo e óbvio, mas na correria do dia a dia nem sempre lembramos de checar se o local que estamos tem uma rede de Wi-Fi gratuita. Certifique-se de que é uma rede segura e conecte-se. Sempre fique de olho se o sinal é bom e se durante toda a utilização dos aplicativos você está, de fato, usando o Wi-Fi. A maior parte dos celulares, ao saírem de uma rede fixa, automaticamente procuram o 3G para continuarem o uso. Você também pode utilizar aplicativos que ajudam encontrar conexões livres, como o Mandic Magic, o Instabridge e o Swift Wifi. Eles usam a geolocalização do usuário e indicam locais com redes fixas gratuitas com suas senhas. Lembrando que alguns cafés e restaurantes oferecem a rede por um tempo limitado, como é o caso do Starbucks, por exemplo.

2. Whatsapp, o grande vilão

De acordo com levantamento da Conecta, plataforma web do IBOPE Inteligência, o WhatsApp é o aplicativo que mais faz sucesso entre os usuários. Ele também é responsável pela maior parte do consumo de internet móvel dos brasileiros. Entretanto, não são mensagens em textos as responsáveis pelo consumo alto (20 mensagens de texto consomem, em média, 10 KB). Na verdade, são as mídias que enviamos e recebemos. Dependendo do tamanho do vídeo, por exemplo, o consumo pode chegar em até 8 MB.
No aplicativo há uma opção nas configurações que desabilita o download automático das mídias. Assim, você poderá escolher baixar uma foto, vídeo e documentos somente quando estiver conectada em uma rede Wi-Fi. Em smartphones com sistema iOS, basta ir em Ajustes > Uso de Dados e Armazenamento e alterar para “Wi-Fi”. Em sistemas Android o caminho é: Menu > Configurações > Uso de dados > Quando utilizar redes de dados.

3. Cuidado com o streaming

O Spotify é outro vilão da rede móvel. São gastos 1.20 MB por minuto em músicas com qualidade de 160 kbps, o que significa que uma música consome, em média, 4.80 MB. Se o download for feito em máxima qualidade (320 kbps), o consumo aumenta para 2.40 MB por minuto e uma música consumiria 9.60 MB. Assim, caso você use o Spotify na versão premium, vale a pena certificar baixar as playlists e verificar que realmente estão baixadas. No aplicativo também há uma opção que permite baixa-las pela rede do celular. É importante desabilitar esse item. Assim os downloads só serão feitos quando você estiver conectada ao Wi-Fi. Para verificar vá em: Configurações > Qualidade da música > Baixar pela rede de celular. Outra opção é ativar o modo offline, que só toca as músicas e podcasts previamente baixados. Está disponível em:
Configurações > Reprodução > Modo off-line.
Além do Spotify, o Netflix também introduziu, em 2015, o serviço que permite o download de filmes e episódios para que usuários pudessem assistir offline.

4. Use mapas offline

Além de acabarem com a bateria de forma muito rápida, os aplicativos de GPS também consomem uma grande quantidade de dados na internet móvel. O Waze consome, em média, 115KB por minuto. Em uma viagem que demora 40 minutos, o aplicativo gasta aproximadamente 5 MB. Salvar a rota de modo offline é a melhor maneira de economizar a internet móvel e ainda ter em mãos o caminho para o seu destino. No Waze basta salvar a rota no menu favoritos. Para isso, basta buscar o local na pesquisa, seleciona-lo e adiciona-lo aos favoritos pelo ícone de estrela. Lembrando que com essa opção não será possível receber alertas de acidentes, radares e postos de gasolina, por exemplo.
Apesar de o Google Maps consumir menos do que o Waze (46 KB por minuto), ainda gasta uma quantidade considerável de dados. O aplicativo também tem uma opção para navegar de forma offline. Para ativar, se conecte à uma rede Wi-Fi > Faça login no Google Maps > pesquise o local que você queira salvar > na parte inferior, toque no endereço > selecione “fazer download” > toque em “mais” > fazer download de mapa offline.
Outros aplicativos que podem ser usados são o OsmAnd e o OpenMaps.

5. Desative as atualizações automáticas

Sem percebermos, nossos smartphones atualizam nossos aplicativos de forma automática. Assim que uma nova versão fica disponível no Google Play Store ou na Apple Store, o novo software é baixado. Entretanto, muitas dessas atualizações são feitas enquanto estamos na rede móvel. Por um lado, é uma boa ferramenta, pois assim não precisamos perder tempo atualizando os aplicativos de forma individual e manual, mas, ao mesmo tempo, também perdemos uma parte de nossos dados para isso. Em sistemas iOS é possível desativar em: Ajustes > Itunes e App Store >Atualizações. Em sistemas Android, vá em na Google Play Store e selecione: Menu > Configurações > Atualização automática do app > Não atualizar/atualizar apenas na modalidade Wi-Fi.